ABDI, TCU e ME juntos em plataforma para compras públicas de inovação

Brasília, 28 de junho de 2022 – A plataforma de Compras Públicas de Inovação ajudará gestores públicos e empreendedores inovadores a compreender e realizar o processo de contratação de soluções de inovação. A ferramenta vai ser desenvolvida pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) dentro de Acordo de Cooperação Técnica (ACT), assinado com o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério da Economia, nesta segunda-feira (27/06). O ACT tem o objetivo de ajudar a impulsionar e potencializar os instrumentos de compras públicas voltados para inovação, por meio da plataforma.

“O foco do ACT é trocar experiências, conhecimento e tecnologias, visando o desenvolvimento e a implantação de plataforma para intercâmbio e sistematização de informações sobre compras públicas de inovação, com o objetivo de apoiar gestores públicos e contribuir para o aumento da maturidade digital”, explicou Igor Calvet, presidente da ABDI.

A plataforma, sem fins lucrativos, “oferecerá uma jornada para o gestor público e para empreendedores inovadores do Brasil, trazendo conteúdos de modelos de contratos e editais para que o gestor público se sinta mais confortável em avançar para uma contratação de inovação. É como se pegássemos na mão do gestor e do empreendedor e o levássemos até o final de uma contratação”, disse Bruno Portela, Secretário de Inovação e Micro e Pequenas Empresas (Sepec/ME).

Ana Cristina Melo de Pontes Botelho, Diretora-Geral do Instituto Serzedello Corrêa, Escola de Contas Públicas do TCU, destacou que a plataforma representa “um salto enorme em contratações públicas e o TCU passa a ser um órgão que incentiva o gestor público a fazer boas compras”. Ela ressaltou ainda a importância da parceria com a ABDI que “foi essencial nesse processo de podermos ter esse espaço para abrigar essa plataforma”.

“A ABDI reconhece a importância e o poder das compras públicas para resolver desafios globais, aumentar a produtividade, impulsionar a inovação e garantir a relação custo-benefício para o governo e para o setor produtivo brasileiro”, afirmou Igor Calvet.

Foto: ABDI